sábado, 31 de março de 2012

Freguesias de Tomar marcam presença na manifestação em Lisboa

População das freguesias de Tomar desfilaram hoje em Lisboa protestando contra a eventual extinção de freguesias.

O presidente da Associação Nacional de Freguesias (Anafre) Armando Vieira esteve no Rossio, em Lisboa, a agradecer aos “mais de 200 mil portugueses” que se manifestaram neste sábado em defesa das freguesias.

No seu discurso, proferido enquanto ainda estavam manifestantes a descer a Avenida da Liberdade, o dirigente afirmou que “a causa primeira é a da gente com rosto”.

“São os que nos estendem a mão que apertamos, os que nos contam os seus problemas, que partilhamos e gente anónima para outros, mas a quem chamamos pelos nomes”, disse.

Armando Vieira garantiu que o caminho a seguir “não é por ali” numa alusão à reforma que o Governo quer seguir, que passa por reduzir o número de freguesias existentes.

A Anafre garante ter consciência de que já levou a sua mensagem a todos os responsáveis e decisores do país e que esta reforma deve ser promovida com as freguesias.

Sobre a manifestação, que segundo a organização juntou na capital cerca de 200 mil pessoas, caracterizou-a como “grande afirmação” cultural, etnográfica, demonstrativas das raízes, da riqueza e da representatividade das freguesias”.

Entre gritos “Portugal, Portugal”, Armando Vieira concluiu que a manifestação foi, acima de tudo, “uma grande lição de força e humildade”.




Imagens: Carlos Gomes

Efemérides Tomarenses - Março

1 de Março
2 de Março
3 de Março
4 de Março
5 de Março
6 de Março
7 de Março
8 de Março
9 de Março
10 de Março
11 de Março
12 de Março
13 de Março
14 de Março
15 de Março
16 de Março
17 de Março
18 de Março
19 de Março
20 de Março
21 de Março
22 de Março
23 de Março
24 de Março
25 de Março
26 de Março
27 de Março
28 de Março
29 de Março
30 de Março
31 de Março

sexta-feira, 30 de março de 2012

quinta-feira, 29 de março de 2012

Um tomarense ilustre

Clicar para ampliar
Decorrido o ano de 1933, ocorreu no Clube Tomarense uma significativa manifestação de despedida de um ilustre tomarense.
Assim começava a notícia do jornal "Diário da Manhã" referente ao tomarense ilustre na sua edição de 26 de Fevereiro de 1933.
Ilustre tomarense este que se tratava do tenente Fernando Oliveira, que tinha sido recentemente nomeado para o cargo de adjunto da Polícia Social de Lisboa.
Segundo o mesmo jornal, classificava um dos ex-presidentes de Câmara de Tomar como um excelente patriota e de grande bravura. Disciplinado e amigo da ordem, era também um amigo da Ditadura Nacional, servindo com uma dedicação e zelo inexcedíveis.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Concerto dos Sean Riley & The Slowriders em Tomar cancelado

Ainda são desconhecidos os motivos, mas o concerto dos Sean Riley & The Slowriders em Tomar na próxima sexta-feira, dia 30 de Março foi cancelado. O aviso partiu hoje da página do Facebook Cine-Teatro Paraíso.

Recorde-se que Sean Riley e companheiros têm um novo álbum “It’s Been A Long Night”, em que, embora mantendo a identidade sonora do projecto, dão mais um passo na sua afirmação como um dos colectivos mais interessantes na cena musical actual.

A 28 de Março...

... de 1877 é fundada a Sociedade Filarmónica Gualdim Pais.

Já em 1939, Samuel Schwarz doa a sinagoga de Tomar ao Estado português.

Em 1980, é fundada a Associação Recreativa e Cultural de Melhoramentos “Estrela Azul” de Carrazede e Carrascal

Encontro de formação e sensibilização sobre o ABORTO EM PORTUGAL

Joana Pereira faz parte de uma associação sem fins lucrativos, a Associação Missão Mãos Erguidas a Nossa Senhora de Fátima. A Joana pretende criar uma extensão da mesma em Tomar. Acontece porém, que necessita de um espaço para poder desempenhar a missão.
O objectivo é ajudar e apoiar jovens, mulheres e até as suas famílias a terem uma alternativa e resposta positiva sem terem que recorrer ao aborto.
Se tem conhecimento de algum espaço que possa servir de palco para esta iniciativa, contacte através do mail: joanacamarapereira@hotmail.com

Encontro de formação/sensibilização
- Sabe o que é o aborto ?
- Conhece bem a lei portuguesa sobre este tema ?
- Tem dúvidas e gostaria de as esclarecer ?
- É amigo da vida humana e quer saber como pode ajudar ?
- Já se deparou pessoalmente com o aborto ou conhece quem tenha passado pela situação ?
Precisa de ajuda ?

Seja qual for a sua razão, estão convidado(a)s a participar neste encontro de formação/sensibilização sobre esta problemática. Independentemente da sua crença religiosa ou outra situação, é convidado/a vir ao encontro sobre a descoberta maravilhosa que é a Vida !
INSCREVA-SE!

Para mais informações escreva para: joanacamarapereira@hotmail.com

terça-feira, 27 de março de 2012

Passatempo "Tomar, a Cidade" para breve

Recentemente o "Tomar, a Cidade" atingiu os 100 seguidores, ultrapassando em 1 até. Como tal, o seu autor decidiu promover um novo passatempo onde distribuirá alguns prémios relativos a Tomar.

Fique atento nos próximos dias para se habilitar a ganhar um brinde com o "Tomar, a Cidade", um blogue de e sobre Tomar desde 2007.

Seminário de marketing dedicado aos museus

O Instituto Politécnico de Tomar (IPT) vai realizar no dia 2 de abril um seminário cujo tema é Marketing em museus locais: práticas e cenários de futuro.
Tendo em atenção que os museus são lugares prodigiosos para a difusão histórica e cultural de uma região, as estratégias de marketing tornam-se uma importante ferramenta na imagem turística do museu, de forma a torna-lo um atrativo turístico. Este seminário pretende assim debater a forma como o marketing pode ser uma ferramenta útil para alguns museus, nomeadamente a nível promocional e comunicacional.
Os oradores desta temática serão Ana Soares, Chefe da Divisão de Turismo, Cultura e Museologia da Câmara Municipal de Tomar, Gonçalo Cardoso, Diretor do Museu de Arte Sacra e Etnologia de Fátima, Ana Saraiva, Chefe da Divisão de Ação Cultural da Câmara Municipal de Ourém e Mafalda Luz, Diretora Adjunta do Museu Agrícola de Riachos
Este seminário decorre no auditório Q102, no campus do Instituto Politécnico de Tomar e tem início pelas 15 horas.

Realizado para um trabalho académico do curso de Gestão Turística e Cultural, do Instituto Politécnico de Tomar, eis um vídeo da Sinagoga de Tomar

A 27 de Março...

... de 2010 era inaugurado o Centro de Dia de São Pedro - Tomar.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Presidente da Câmara de Tomar promete baixar as taxas

Carlos Carrão, Presidente da Câmara Municipal de Tomar, mostrou-se disponível para apoiar as empresas e os particulares, nomeadamente através da redução de taxas camarárias, passando estas a ser meramente simbólicas, para assim incentivar ao investimento no turismo. Defendeu a importância da realização de eventos para a atracção de turistas e visitantes. Afirmou ainda que a abertura do Complexo da Levada será uma mais-valia na promoção do turismo da cidade.
Estas declarações foram no dia 22 de Março, na Estalagem de Santa Iria em Tomar, na sessão informativa relativa ao Sistema de Incentivos ao Investimento no Sector do Turismo. Foi uma organização conjunta entre o Turismo de Lisboa e Vale do Tejo, o Município de Tomar e António Paquete - Economistas Associados, Lda.
Com esta sessão de esclarecimento em que foram debatidas as novas exigências na elaboração das candidaturas ao QREN - O Quadro de Referência Estratégico Nacional no período de 2007-2013, bem como os apoios financeiros ao sector do turismo, através de um memorando de entendimento entre o turismo de Portugal, o BPI e a CGD, que visam melhorar as condições daqueles que pretendem investir no turismo.
Manuel António de Faria, Vice-Presidente da Entidade Regional de Turismo de Lisboa e Vale do Tejo, aproveitou esta oportunidade para informar que através da HERTZ TV, 240 milhões de pessoas no Mundo poderiam ver em directo esta sessão de esclarecimento, sem necessidade de tradução.
António Paquete, economista, da empresa Economistas 2020 – Gabinete de Estudos Turísticos, Lda. fez a abordagem aos avisos para apresentação de candidaturas ao QREN, designadamente os avisos n.º 02/SI/2012, 03/SI/2012 e 04/SI/2012. Alertando para a importância dos interessados não fazerem investimentos antes da entrega da candidatura e ainda do facto do projecto de arquitectura ter de estar aprovado à data da entrega da mesma sob pena inviabilizar à partida o plano.
O prazo para a apresentação de candidaturas decorre entre 27 de Fevereiro e 26 de Abril de 2012. Sendo a data limite para a comunicação da decisão aos promotores o dia 3 de Agosto de 2012.


Arlindo Costa, economista, da empresa António Paquete – Economistas Associados, Lda. fez uma abordagem ao número de projectos aprovados a nível nacional, focando o grande número de projectos no Porto e em Évora. O número de aprovações na cidade do “Templo de Diana” deve-se ao facto de terem havido vários projectos no Alqueva.
Mais uma vez este evento excedeu as expectativas, tendo tido casa cheia.
Para mais informações utilize os seguintes contactos: http://www.qren.pt/, http://www.bancobpi.pt/pagina.asp?s=2&f=2351&opt=f,https://www.cgd.pt/Empresas/Informacao-Empresa/Pages/QREN.aspx, António Paquete - Economistas Associados, Lda. telefone: 21 401 23 46, e-mail: antonio.paquete@netcabo.pt.

domingo, 25 de março de 2012

Desastre de trabalho

"Hoje, pelas 15 horas, foi vítima de um desastre de trabalho um operário de 19 anos, solteiro, quando trabalhava com uma máquina de moldar na serração de Tomar, tendo cortado o dedo polegar da mão esquerda e ferido os restantes quatro.
Foi imediatamente socorrido no consultório do sr. dr. José Tamagnini, e estava seguro.
É a terceira vez que foi vítima de desastre na mesma máquina."
In: Diário da Manhã 4 Janeiro de 1933

Segurança na net e educação sexual em discussão

Imagem: ionline
O XIV Seminário Regional de Educação realiza-se dias 28 e 29 de março no Cine-Teatro Paraíso em Tomar, tendo como temáticas os desafios que hoje se colocam à escola, entre eles a (in)disciplina, a segurança na net e nas redes sociais, a relação entre os pais e a escola e a educação sexual.


Regressando ao formato de dois dias, o Seminário teve que trocar de espaço, uma vez que o grande número de inscrições que recebeu era superior ao número de lugares disponíveis no auditório da Biblioteca Municipal, onde habitualmente se realiza, transitando assim para o Cine-Teatro.

Entre os oradores vão estar alguns dos principais especialistas portugueses nas matérias em causa, entre eles Tito de Morais, Tânia Paias ou Maria Barroso.

Após a sessão de abertura, marcada para as 9h30 de quarta-feira, 28, o professor João Amado (Universidade de Coimbra) fará uma conferência de abertura ao primeiro painel com o título “A(s) indisciplina(s) na escola – Os factores escolares da problemática”. Segue-se o painel, denominado precisamente “(In)disciplina na escola”, moderado por Gonçalo Simões (PSP), com as intervenções de Tânia Paias (diretora do Portal Bullying) e João Lázaro (psicólogo clínico).

À tarde, novo painel sobre “Segurança na net e redes sociais na esocla”, com moderação de Paulo Chitas (grande-repórter da revista Visão) e intervenções de Tito de Morais (site MiudosSegurosNa.Net) que falará de “Minimizar riscos, maximizar benefícios”, João Correia de Freitas (Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova), abordando “Redes sociais digitais na escola – uma oportunidade segura” e Sara Pereira (Universidade do Minho), que explicará “Os nós das redes – a importância da literacia digital para o uso crítico das redes sociais”.

Na manhã de quinta-feira, 29, o tema será “Os pais e a escola”, com moderação de Filipa Inácio (licenciada em psicologia aplicada) e intervenções de Maria de Jesus Barroso Soares (Fundação Pro Dignitate) e Ana Rita Goes (consulta de Psicologia Pediátrica da Faculdade de Psicologia de Lisboa).

À tarde, o último painel abordará a “Educação sexual na escola”. A moderadora será Marta Correia (Associação para o Planeamento da Família), estando ainda presentes Teresa Tomé Ribeiro (Escola Superior de Enfermagem de S. João) e Eugénia Lemos (Associação para o Planeamento da Família).

Como é habitual, o seminário incluirá uma homenagem ao pessoal docente e não docente aposentado no passado ano escolar, que decorrerá ao final da tarde de quarta-feira, dia 28. Haverá um momento cultural com a presença da professora Graça Arrimar e do Coro da Universidade Sénior de Tomar, seguindo-se um beberete.

Via Rádio Cidade de Tomar

sábado, 24 de março de 2012

"Casa do Guarda" inaugurada

Esta manhã foi inaugurado o Centro de Interpretação Ambiental da Mata Nacional dos Sete Montes em Tomar. O Centro está instalado na chamada «Casa do Guarda» após obras de recuperação. A Mata oferece três percursos pedonais distintos com sinalética adequada e um parque infantil.

«(Re)Tomar a Mata» é o desafio que a autarquia lança aos tomarenses após a conclusão destes investimentos.
Na inauguração marcou presença, Ana Dias, Directora do Convento de Cristo, que depois se responsabilizou por guiar os tomarenses ali presentes à descoberta das novidades que a Mata Nacional dos Sete Montes agora oferece. A Directora do Convento sublinhou o acesso ao Monumento através da Mata como uma mais valia para os turistas mas também para os tomarenses.

Caminhada Motor Aventura

1 de Abril 2012

sexta-feira, 23 de março de 2012

Desordem motivada por embriaguês

"Tomar, 28 - Esta manhã, quando se dirigiam para Santarém três pastores conduzindo um rebanho de ovelhas para um marchante daquela cidade, encontraram no caminho, perto de Santa Cita um grupo de indivíduos que regressavam da apanha da azeitona, que vinham quase todos embriagados.
Estes, começaram num dado momento a espancar o gado, pelo que tiveram que intervir os ditos pastores que censuraram a sua acção, sem que, contudo, os ébrios abandonassem a sua malévola intenção.
Assim, viram-se forçados a agir energicamente a fim de castigar os malfeitores. Por isso, envolveram-se todos em desordem do que resultou ficarem gravemente feridos os três pastores. Os desordeiros encontram-se agora presos na esquadra policial, onde um dos desordeiros tinha largo cadastro."
In: Diário da Manhã 4 Janeiro de 1933

O Agroal... de Tomar e de Ourém

Recentemente, a CM Tomar, no seu boletim municipal (Fevereiro 2012), publicou na sua rubrica sobre as freguesias, a apresentação da Sabacheira, onde se inclui o Agroal.

Como título colocou "Chão de pedra onde a água cura a alma" numa imagem do Agroal, precisamente vendo-se a paisagem de Tomar. Não sei como a câmara de Tomar ainda tem o desplante de publicar quer o que seja relativo ao Agroal, sem mencionar o excelente trabalho do concelho vizinho, Ourém. Quem conhece, sabe que foi desenvolvido um magnífico trabalho profundo para melhorar aquele local, onde Tomar nunca nada fez, nem nunca se pareceu interessar por tal local, que agora, promove no seu boletim tal destino.

Agroal (Imagem Boletim Municipal de Tomar)
Agroal e o trabalho desenvolvido por Ourém

quinta-feira, 22 de março de 2012

A importância dos fontanários

Percorrendo algumas das artérias principais e secundárias do concelho de Tomar, decerto não deixará de reparar nas fontes onde a água cristalina ainda cai dia e noite, como uma sinfonia sem fim.

A importância da água para o Homem é uma evidência que não necessita de demonstração. A sua necessidade verifica-se desde logo no modo como a cidade surge e cresce ao longo da História. A maioria das primeiras cidades terá surgido perto de rios, para que fosse possível o fornecimento de água para beber e para a irrigação dos campos de cultivo e do gado.

A água é de facto um bem vital para a cidade: para além do seu consumo, é utilizada também para a sua defesa, para o seu saneamento, e para diversas manufacturas, tanto pela sua força motriz, como constituinte de distintas produções e fabricos desde os tempos mais remotos. A rede hidrográfica de uma cidade é pois um bem que obriga a uma cuidada gestão [Guillerme, 1983] pelo que, também por esta razão, a água vai moldar o crescimento e evolução da cidade. Assim teremos, naturalmente, desde Vitrúvio [Vitrúvio, 2006], o tema da água cuidadosamente abordado em vários tratados de arquitectura e urbanismo.

A organização do aglomerado vai também, por sua vez, ser condicionada pela própria acessibilidade à água, pelo seu escoamento e distribuição. Os pontos de acesso à água, como as nascentes ou os poços, sendo pontos fundamentais da cidade, geram praças e largos, espaços não edificados que estão entre os de maiores dimensões dentro da cidade, necessários para facilitar o seu acesso e possibilitarem a permanência dos grupos de utilizadores. São espaços e equipamentos cuja importância será confirmada pela monumentalização a que tanto o equipamento em si como toda a praça frequentemente são sujeitos, preservando e garantindo o seu protagonismo da cidade.


É a importância atribuída aos pontos de acesso à água que faz surgir os denominados chafarizes. A sua génese é o abastecimento de água à cidade, disponibilizando-a no seu espaço público, mas a sua componente ornamental é também uma importante função.
Trata-se, com efeito, de equipamentos com presença marcante no seu local de inserção.


Os lavadouros/fontanários públicos são infra-estruturas existentes em muitas das nossas aldeias, construídas pelas câmaras municipais, sobretudo nos anos 50 e 60. Eram infra-estruturas que vieram dar resposta a necessidades básicas das populações, como o acesso ao abastecimento de água bem como a locais adequados à lavagem das roupas.


Numa época em que poucas aldeias tinham rede eléctrica, os poços eram raros e os que existiam eram destinados essencialmente a rega, com extracção de água a ser feita pelos tradicionais engenhos, movidos a força animal ou, mais tarde, por motores a petróleo, caros e nem sempre eficientes, os fontanários tiverem um papel importante no quotidiano das populações locais.
Por conseguinte, para abastecimento de água para as necessidades do dia-a-dia, existiam sobretudo as nascentes naturais e minas, nas encostas dos montes, mas implicavam deslocações para o seu transporte, sendo uma tarefa tão necessária quanto dura e difícil.

Com os fontanários, distribuídos por vários locais de cada aldeia, tornou-se mais fácil e cómodo aceder a este recurso no que foi uma substancial melhoria das condições do povo.
O concelho de Tomar também teve o seu período áureo destes equipamentos, quase sempre incorporando as componentes de fontanário e lavadouro.

Créditos: http://www.freguesiadeguisande.com/ e http://seu2007.saau.iscte.pt/
Imagens: Revista Ilustração Portugueza

Estrada da Serra restaurada

Seria bom demais a ser verdade, não era?


Como constata a imagem, a estrada foi de facto restaurada, mas apenas aqui e ali. Tapam-se buracos. Assim faz o governo português, assim faz a câmara de Tomar.

Exposição de Aquarelas

Destaque na revista "Ilustração Portugueza" para a Exposição de Aquarelas de Alberto Sousa, onde se pode deslumbrar a Rua Direita (Tomar) e o Castelo visto do Nabão.

A 22 de Março...

...de 1925 o jornal " A Voz de Tomar" iniciou a sua publicação.

Também neste dia, mas no ano de 1938, a Cerca do Convento de Cristo ou Mata Nacional dos Sete Montes era classificada como Imóvel de Interesse Público.


quarta-feira, 21 de março de 2012

Quatro cantinas sociais em Tomar

Realizou-se no dia 15 de março uma reunião do Conselho Local de Ação Social de Tomar (CLAS), com a presença do Diretor da Segurança Social de Santarém, na qual foram prestados esclarecimentos sobre as cantinas sociais.
Esta medida insere-se no Programa de Emergência Alimentar (PEA) cuja estratégia passa por garantir o acesso a refeições diárias gratuitas às famílias que mais necessitam com base na criação de uma Rede Solidária de Cantinas Sociais.
O concelho de Tomar deverá contar com quatro cantinas sociais, numa lógica que prevê 24 para o Médio Tejo, 46 no distrito de Santarém e um total de 950 no país. Os locais ainda não estão definidos, sendo o CLAS a decidi-los em função de critérios que ainda está a aguardar.
As cantinas sociais deverão ter capacidade de fornecer 50 a 80 refeições diárias, considerando o almoço e o jantar, sendo dada preferência ao consumo no domicílio (o utente desloca-se à cantina e leva a refeição para casa), embora esteja em aberto o consumo em meio institucional, sendo, porém, as refeições sempre cozinhadas pelas instituições.
Os destinatários são idosos com baixos rendimentos, famílias expostas ao fenómeno do desemprego, famílias com filhos a cargo e baixos rendimentos, pessoas com deficiência que tenham dificuldade em ingressar no mercado do trabalho e situações de emergência temporária (calamidades públicas ou situações de despejo ou doença). Serão ainda abrangidas outras situações sociais já sinalizadas.
Excluídos deste apoio estão os utentes da instituição que forneça as refeições e que beneficiam já de alimentação em resposta social e utentes apoiados por outras estruturas que prestem apoio direto ao nível da alimentação.
Por princípio, o acesso aos serviços da refeição será gratuito, podendo todavia, consoante os rendimentos da família, ser cobrado até ao máximo de um euro por refeição.
As cantinas sociais vão ser criadas no âmbito de um protocolo a celebrar entre o Instituto de Segurança Social (ISS) e as instituições envolvidas, no contexto da Convenção da Rede de Solidariedade de Cantinas Sociais para o PEA, que vigorará de março a dezembro de 2012, com possibilidade de renovação. A comparticipação financeira do ISS será de 2,50 euros por refeição.
Os critérios para a distribuição das cantinas sociais por concelho têm em conta a população residente e desta a que vive em privação material; população residente maior de 65 anos ou em risco de pobreza; população residente até aos 14 anos; o índice de risco de pobreza dos maiores de 65 anos, desempregados e menores de 14 anos; desemprego registado e a população desempregada inscrita no IEFP em risco de pobreza;
Pretende-se maximizar os recursos existentes, privilegiando uma lógica de proximidade, e intervir nas situações mais vulneráveis, garantindo o acesso a refeições diárias gratuitas às famílias que mais necessitam, mas sem construir novos espaços edificados para o efeito nem onerar as instituições com aumento de recursos humanos.
Na reunião de dia 15, em que participou a quase totalidade dos membros parceiros do CLAS, foi realçada a importância da coordenação do trabalho realizado por todas as instituições com responsabilidades na área social, rentabilizando recursos humanos e materiais, de modo a prestar mais e melhor apoio às pessoas com dificuldades económicas.

Estrada de Paialvo

No início de 1923, a revista Ilustração Portuguesa, publica a imagem do Castelo dos Templários visto da Estrada de Paialvo na capa.


A 21 de Março...

...de 1857 nascia Carlos Campeão dos Santos, fundador do jornal "A Emancipação", primeiro semanário tomarense.


terça-feira, 20 de março de 2012

Em Tomar

Estávamos em 1922. A revista Ilustração Portuguesa referenciava os espectáculos oferecidos pelos alunos da Escola Primária Superior da cidade.
A representação escrita pelos distintos professores José BraK-Lamy, autor da peça, e Miguel Rebelo, autor da música, foi um um sucesso. O ensaiador, Capitão Jesus, foi ovacionado pelos aplausos, assim como todos os participantes.



A 20 de Março...

...de 1977, era fundado o Centro Recreativo e Cultural de S. Simão, Pedreira, Tomar.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Paisagens de Tomar - 1921 (II)

Banhados os seus terrenos por um rio que apesar do seu curto percurso, apresenta em todas as estações do ano notável caudal, não tem inveja, ainda no rigor da acção, às mais verdejantes do Minho.
Do Prado à Marianaia, os rodos levantam dia e noite a água que vai fertilizar os hortos marginais. Do Prado ao Agroal e de Marianaia à Foz, a paisagem, embora de outro género, não é menos soberba.
Da beleza dos assuntos falam bem as fotografias que apresentamos. A transparência das águas, a variedade infinita dos verdes ou vegetação, a cromática sempre variada dos poentes, nem sequer tentarei descrevê-los.
Mas não é só nas margens do Nabão que a paisagem é merecedora da atenção dos artistas. Contemple-se com o por do sol junto à vetusta Igreja de Santa Maria do Olival, quando os rodos arrastam a sua interminável melopea.; faça-se o passeio dos Pegões Altos; admirem-se os mágicos efeitos das heras e trepadeiras coleando nos brincados ornatos da casa do Capítulo incompleta; e termine-se por admirar a soberba vista, da janela do Castelo, da várzea que se estende da Granja a S. Lourenço. Afiançamos aos nossos leitores, que sejam artistas, quer simples turistas, que conservarão de tantas belezas naturais, aliadas a tantos primores artísticos, à mais perdurável e grata recordação."
Por Garcez Teixeira in Ilustração Portugueza 1921


Paisagens de Tomar - 1921 (I)

Pequenina como é, a cidade de Tomar não deve deixar de ser considerada sempre sob os três aspectos: monumental, pitoresco e industrial. Já falámos ligeiramente dos seus monumentos. Falaremos hoje da sua paisagem, ou antes, falarão dela as belas fotografias do distinto amador Sr. J. Brak Lamy, tanto como uma fotografia pode fazê-lo. (...)" Continua...
In: Revista "Ilustração Portugueza"



Os novos deputados

A Ilustração Portugueza, edição de Setembro de 1921, dá a conhecer os novos deputados, onde entre eles, se encontram dois de Tomar. São eles João Ribeiro Cardoso e Alberto David Branquinho.

domingo, 18 de março de 2012

Joana Franco mais versátil

A modelo Joana Franco, licenciada em Gestão Turística e Cultural e residente em Linhaceira, Tomar, anuncia na sua página do Facebook que nas próximas sessões tem como objectivo mostrar um pouco mais a sua versatilidade na fotografia.

Recorde-se que a modelo tomarense tem participado em alguns concursos de moda e aparecido em algumas revistas de renome nacional, como é o caso da Revista J, Revista Nova Gente, entre outras.

Também no site "Out Of Aces", Joana Franco aparece entre centenas de modelos famosas.

A Riqueza artística de Portugal

Porta do Convento de Cristo - 1921 - Ilustração Portugueza

sexta-feira, 16 de março de 2012

Cidades de Portugal - Tomar 1920 (V)

(...)
Sobressai aqui o tecto dos corredores, de madeira de bordo, e em forma de berço e a capela do Sr. da Paciência, que constitui o ramo superior da cruz e é uma perfeita jóia da mais pura renascença. O friso superior e as pilastras dos cunhais são obras de primoroso desenho e execução. Não tinha o convento água, senão a das cisternas, que são muitas e de grande capacidade, mas muita mais precisava, começando-se a abastecê-lo devidamente desde o levantador dele, D. João III, mas só no reinado dos Filipes é que se tornou possível realizar tão dispendiosa e majestosa obra. não deve o visitante deixar de ver o aqueduto que trás água para o convento e que, no sítio denominado "Pegões Altos", apresenta uma dupla arcaria sobreposta, que se recomenda pela excelência do desenho e da construção, sendo também bastante notável pela altura e pelo pitoresco local.
Por esta rápida resenha que constitui apenas um simples roteiro do visitante ao percorrer tão grandioso e patriótico monumento que serve agora de explicador à bela colecção de fotografias que a acompanha, devida a um dos mais inteligentes colaboradores da "Ilustração" se pode avaliar quanto é merecida uma visita circunstanciada à cidade de Tomar que infelizmente não é conhecida por muitos dos portugueses. O arqueólogo, o historiador, o arquitecto, o pintor e o fotógrafo, têm ali assunto inesgotável e em grande parte inédito para os seus estudos e para os seus trabalhos. - ("Clichés" do Sr. J. Francisco Júnior)


In: Ilustração Portuguesa

A 16 de Março...

... de 1978, era fundado o jornal "A Província".

Rede de transportes para o CHMT

Clicar para ampliar
Quem tiver necessidade de se deslocar até aos hospitais de Torres Novas e Abrantes, com partida de Tomar, pode usufruir do serviço de transporte que está a ser disponibilizado pela Rodoviária do Tejo que, desde 12 de Março, promove diversas ligações diárias. Na página da Rodoviária do Tejo, a empresa intitula este serviço como «Rápida Hospitais Médio Tejo». Para além de estar disponível a tabela de horários, a Rodoviária do Tejo dá conta dos preços dos bilhetes, classificando-os como «económicos».

Tal como a Hertz avança, não é bem assim... Basta ter em conta que este serviço, também destinado a funcionários do Centro Hospitalar do Médio Tejo, obriga ao pagamento mensal de 94,95 euros para quem viaje de Tomar para Torres Novas, ou vice-versa, sendo que, para esta viagem, o bilhete diário, de ida e volta, está cifrado em 5,50.

A questão dos horários para funcionários também está um pouco desenquadrada, senão vejamos:
Um funcionário que resida em Tomar que preste serviço no hospital de Abrantes. O seu horário é rotativo, entrando sempre às 8, 16 e 24 horas. A saída do serviço é o mesmo horário. Ora no caso de entrar às 8 horas, o autocarro sai do hospital de Tomar às 8h15m, chegando às 8h55m ao hospital de Abrantes, chega portanto uma hora atrasado. Depois à saída do serviço, que neste caso seria às 16h, teria que esperar mais de uma hora pelo autocarro que sai do hospital de Abrantes pelas 17h05m, chegando a Tomar às 17h42m.

Como se constata, de económico nada tem, assim como o horário está desajustado às necessidades dos funcionários.

quinta-feira, 15 de março de 2012

Grasnada de Rio – À conversa com o Presidente

Grasnada (diálogo) entre dois ilustres patos tomarenses, Simões Pato (SP) e Costa Pato (CP), em que esta semana o Presidente da CM Tomar, Carlos Carrão (CC) responde a algumas questões.

SP – Bom dia Sr. Presidente Carrão. Seja bem-vindo a estas águas do Nabão, que também são suas.

CC – Bom dia caros ilustres patos. Antes de qualquer questão, informo-os que lhes posso fechar o rio, entendido?

CP – Calma Sr. Presidente. As perguntas serão inofensivas e apenas esclarecimentos quer para a nossa comunidade de patos quer para alguns nabantinos que mantém as mesmas dúvidas.

SP – Isso mesmo, caro Sr. Presidente. Começo até por felicitá-lo devido à sua “entrada” pela primeira vez numa manifestação contra a reorganização CHMT, unido à população que decorreu nas comemorações dos 852 anos da fundação de Tomar, a 1 de Março. Foi de facto louvável da sua parte, sabendo todos nós que não existia “comes e bebes” à espera e que a “passeata” seria a pé desde a inaugurada Praceta Mário Nunes até ao Hospital.

CC – Sim, todos sabem que eu estou do lado dos tomarenses, que luto pelos seus interesses em prol do seu bem-estar e do concelho. Neste caso do Hospital de Tomar, estou também com o povo tomarense, embora saiba que não haverá volta a dar a esta situação. Fui porque saberia ficar bem-visto junto do Povo. Como sabem, estou há catorze anos nas Câmara, tenho experiência nestas andanças.

CP – Sr. Presidente Carrão, quer então dizer que tudo não passou de uma espécie de campanha para as eleições internas do seu partido e até já a pensar nas próximas eleições em Tomar?

CC – Não! Ou melhor, em parte sim. Como disse, estou com os tomarenses, porque também sou tomarense. Estaria a mentir se dissesse que não tento tirar daqui algum aproveitamento político.

SP – Está confiante numa vitória no dia 16 de Março, aquando das eleições da Comissão Política do PSD?

CC – Claro! Apesar de existirem duas listas, o que revela o funcionamento de democracia partidária a funcionar, estou convencido que ficarei à frente do Partido. Mas independentemente deste resultado, garanto que serei candidato à Câmara Municipal nas Autárquicas de 2013.

CP – A oposição tem criticado as suas ações à frente da Câmara, onde falam em demissão…

CC – Não me demito! Irei até ao fim do mandato, quer queiram quer não! Estou há catorze anos na Câmara, agora que sou finalmente o Presidente não me tiram daqui às primeiras!

SP – Ora aí está um bom lema, firmeza, mas que até mesmo nós patos, achamos que essa atitude deveria ser usada para defender os tomarenses, não o seu lugar de presidente.

CC – Caros patos, eu defendo os tomarenses, mas se continuam com essa conversa vou ter que vos fechar o rio.

CP – Uma última questão Sr. Presidente: Porque a autarquia não abdica dos Boletins Municipais em papel?

CC – Em primeiro lugar por ser do contra, isso era dar vitória à oposição e como compreendem isso á algo que não pode acontecer. Em segundo lugar, estou sensibilizado com a população rural do concelho que ainda não possui Internet e obviamente os Boletins em Papel são ainda o único meio em que me podem ver bem na fotografia.

SP – Era para ser a última questão, mas como abordou o tema “Internet”, qual a razão de não se instalar uma rede de Wireless nalgumas zonas da cidade e do concelho?

CC – Isso fazia parte do programa eleitoral de um outro partido. Não quero que digam que roubamos ideias, por isso a não colocação dessa tal rede.

CP – Agradecemos a sua vinda até ao nosso recanto. Desejo que consiga levar Tomar a avante.

SP – Quac! Costa, sabes bem que não vai ser fácil, mas pronto, fica o teu desejo. Quac!
Até para a semana!

Publicado no jornal "Cidade de Tomar" edição nº 4006 de 16 Março 2012

Extinção do Boletim Municipal

Número exorbitante de
Boletins Municipais expostos
Atualmente com todo o progresso e todas as novas tecnologias, a CM Tomar continua a insistir em manter gastos com o Boletim Municipal apesar de propostas contra e de vários cidadãos se manifestarem a favor da extinção do mesmo.

Como pode ser visto no próprio boletim,  são impressos na DL Publicidade, em Benedita, 6500 exemplares, onde a maior parte destes Boletins Municipais nem para usar no WC servem, são jogados quase instantaneamente ao lixo.
Na imagem, pode-se constatar o número de Boletins Municipais expostos no Centro de Emprego de Tomar. Assim, como naquela instituição, é-o em mais estabelecimentos do concelho. 

Mas nem tudo é mau. Posso asseverar, que desde que me inscrevi para receber o Boletim Municipal por mail, todos os meses, no início do mês lá chega ele. Nisto, a CMT está para já de parabéns.

Publicado no jornal "Cidade de Tomar" edição nº 4006 de 16 Março 2012

Cidades de Portugal - Tomar 1920 (IV)

(...) 
Na sala do refeitório, ampla sala abobadada, com dois magníficos  pulpitos, acha-se em organização um museu regional, já bastante rico na parte arqueológica. A colecção de estelas sepulcrais é das mais completas dos nossos museus. As passagens do claustro de D. João III para o refeitório, casa do Capítulo e primitiva portaria, são trabalhos de escultura da mais bela concepção. Ali se vêm, como valiosa documentação histórica, os bustos de d. João III, de D. Catarina e de D. António de Lisboa, reformador da Ordem de Cristo no tempo daquele rei.
Uma fonte monumental completa a grandiosidade da fábrica.
O claustro de Santa Bárbara compreende a face poente do coro e é portanto da sua galeria superior que se vê melhor a surpreendente janela do mesmo coro, sem dúvida o mais completo exemplar do estilo manuelino que tanto entusiasmo produz a quem o contempla.
Ramalho Ortigão, descrevendo-a, fez uma bela página e não seremos nós que vamos descrever o que o lápis do insigne Castilho delineou. Pode a fotografia dar-nos a exactidão de desenho, mas nem ao menos essa nos pode dar a impressão que se sente ao contemplar aquela obra prima dum grande génio. Veja-a todo o português que ama a sua pátria.
Do claustro de Santa Bárbara passa-se ao da Hospedaria e ao a Mixa, obras também de João de Castilho.
Nas suas elegantes construções e várias ornamentações deixou o grande arquitecto soberbos vestígios do seu luminoso talento. 
Davam estes claustros, como os das "Sentinas" serventia às varias dependências do grande convento que foi um dos maiores de Portugal em área e riqueza.
Do claustro da Mixa sobe-se um portão para o exterior do convento que tem a qui a sua fachada norte e onde se abre o Portão Real que era a portaria do edifício e que conduzia por uma ampla escadaria à Sala dos Reis e corredores do "Cruzeiro".
Esta entrada do Convento, já de construção filipina, está longe de corresponder à majestade de tamanha fábrica.
Os corredores do "Cruzeiro", dão serventia a numerosas celas, de um e de outro lado, constituindo o vasto dormitório do convento, obra de D. João III que tanto o honra.
(...)

IV Maratona "Cidade de Tomar"

A 15 de Abril de 2012

A 15 de Março...



quarta-feira, 14 de março de 2012

Cidades de Portugal - Tomar 1920 (III)

"(...)
Infelizmente a decadência da Ordem de Cristo nos últimos tempos, as invasões dos franceses e as degradações dos portugueses, principalmente, depois de 1834, vieram desmantelar aquele original conjunto de arte românica e do início do renascimento.
Todos os quadros móveis vieram a desaparecer e dos fixos apenas ali existem 4, belas obras do nosso florescentíssimo século XVI que estão ainda imperfeitamente estudados para que possa determinar o autor. Agora, pelos estudos promovidos pela "União dos Amigos dos Mestres da Ordem de Cristo" e com boa vontade das estações superiores, foram encontrados mais três desses quadros e restos de outros 4, sendo estes últimos bem como duas das 7 estátuas dos projectos, que faltam, levados para Tomar a fim de serem repostos nos seus respectivos lugares.
Vê-se que por ali passou a mão sacrilega do homem, que sabe destruir aquilo que não pode subtrair. Talvez fosse, por se achar tão alto, que escapou um famoso tubo do órgão, única peça que deste resta, talvez única do seu género. É de madeira e tem 32 pés, ou sejam uns 10,5m e uns 0,80 de diâmetro!
Nesta parte da igreja se acham as sepulturas de D. Lopo Dias de Sousa e de D. António de Lisboa.
Fazendo contraste com o brilhantismo das pinturas e dos dourados da "Charola" está o coro da igreja à esquerda da entrada.
Absolutamente nua do cadeiral de Olivier de Gaud e de Munoz e dos órgãos hoje apenas nos apresenta, para enlevo dos olhos, o belo tecto manuelino, que se ergue sobre esplêndidas misulas. Quatro grandes janelas dão luz a esta parte da igreja duplamente com seu espelho na face poente.
Da "Charola" passa-se ao Claustro do Cemitério construído por D. Henrique, o Navegador, no mais estilo gótico, assim como o que está ao pé, o da Lavagem.
Sobre o Claustro do Cemitério abrem-se a capela dos Portocarreiros e a Sacristia, bela peça de construção filipina, hoje vandalicamente destruída de toda a sua ornamentação e mobiliário.
Daí, passando pelo coro da igreja, entramos no claustro clássico da mais pura arte, mandado levantar por D. João III no local de outro feito por João de Castilho. O actual, apesar de muito danificado devido à má qualidade do material e à maldade humana, é talvez a obra prima de Diogo de Torralva. Do pavimento superior deste claustro, passa-se para o baixo coro, hoje impropriamente denominado casa do capítulo, por uma primorosa janela da fachada sul, transformada em porta, e cujo belo peitoral foi agora posto a descoberto.
Do pavimento inferior passa-se para o refeitório e para o claustro de Santa Bárbara. (...)"


Janela da Casa do Capítulo - 1919

Natal de 1919. A revista Ilustração Portugueza publica alguns poemas de artistas reconhecidos em monumentos importantes.

Eis a Janela da Casa do Capítulo com um poema de António Correia de Oliveira:

Comemoração do 135º Aniversário da Sociedade Filarmónica Gualdim Pais

Cartaz do Programa Comemorativo do 135º Aniversário da Sociedade Filarmónica Gualdim Pais

Sistema de incentivos ao investimento no sector do turismo

Tomar - Estalagem de Santa Iria
22 Março 2012

terça-feira, 13 de março de 2012

Joana Franco no top

Joana Franco em sessão
com "TM  Fotografia"
A modelo Joana Franco, licenciada em Gestão Turística e Cultural e residente em Linhaceira, Tomar, está há várias semanas no top dos "posts" mais vistos da semana do blogue "Tomar, a Cidade", tornando-se numa referência influente na subida de audiência do mesmo. Como tal, o "Tomar, a Cidade", em nome do seu autor, Luís Ribeiro, agradece aqui publicamente à modelo tomarense.

"Posts" de Joana Franco:
"Joana Franco - capa da revista J", é o "post" mais visto da semana, onde se segue "Joana Franco - Miss Fanática Record de Setembro" no 2º "post" mais visto e ainda também no quarto "post" mais visto com "Joana Franco continua a "dar cartas".

Para quem quiser acompanhar a modelo Joana Franco, pode fazê-lo através da sua página do Facebook em
http://www.facebook.com/pages/Joana-Franco/148664275210935


Cidades de Portugal - Tomar 1920 (II)

Voltando à cidade e indo pela Avenida Moegos de Tomar, entramos nos lindos jardins, à beira Nabão, da Várzea Pequena, de onde vemos a oitavada Capela de S. Gregório e o Santuário da Senhora da Piedade padroeira de Tomar e de onde se desfruta um lindo panorama.
Quer subamos pela Calçada ou pela Avenida Dr. Vieira Guimarães, paremos, antes de entrar no grandioso Mosteiro de Cristo, diante da Capela de N.Sª da Conceição, em forma de basílica, uma verdadeira jóia arquitectónica do mais puro estilo Renascença.
Agora acabamos estes fugitivos traços sobre cidade tão rica em arte e história, por onde geralmente o visitante começa, - pelo Castelo de Gualdim Pais e pelo Convento de Cristo.
Não vamos fazer uma ampla descrição deste tão notável monumento; isso levaria vinte volumes de prosa e de gravuras, tal é a arte, a grandeza e a imponência da sua fábrica!!
Tracemos somente uma rápida resenha. Entrando pela porta de S. Tiago, no terreiro onde se realizaram as cortes que aclamaram D. Filipe I, temos à direita o recinto da Alçana do castelo, com a sua alta torre de menagem na qual o infante D. Henrique mandou construir os "Paços", que depois foram transformados nos faustosos "Paços" de D. Catarina, enquanto regia o reino na menoridade de D. Sebastião. Da varanda que olha a nascente, gosa-se um lindíssimo panorama sobre a cidade que pode ter igual, mas não superior. Ao fundo do terreiro, uma escadaria conduz-nos ao terraço que dá entrada pela direita para a igreja e pela esquerda à Casa do Capítulo, incompleta, maravilhoso trecho manuelino que nunca chegou a ser acabado, devido à morte de D. Manuel e à grandiosidade da obra.
Para a Igreja dos Cavaleiros de Cristo ingressa-se pelo majestoso portal, a obra do famigerado João de Castilho, que não descrevemos, pois obras destas não se descrevem, vêem-se.
A entrada do Templo é uma verdadeira surpresa para o visitante.
Composto de duas partes das mais heterogéneas arquitecturas e ainda, infelizmente, faltando-lhe o riquíssimo cadeiral e um grande número de acessórios de ornamentação manuelina e reinados subsequentes, não é fácil formar rapidamente uma ideia, nem aproximada, do que seria aquele Templo no século XVI.
A parte que fica à direita da entrada foi construída por Gualdim Pais e constitui desde D. Manuel a "Charola". Primitivo santuário dos cavaleiros do Templo é em forma poligonal, tendo ao centro o altar-mor sobre uma cúpula sustentada por 8 feixes de colunas. Todo este corpo. primitivamente da mais simples arquitectura românica, foi no tempo do "Venturoso" estucado, pintado e ornamentado com quadros e obras de talha e estatuaria. (...)


Um rua em Tomar

Em 1919, por ocasião da exposição de pintura de João Vaz, é publicada na revista "Ilustração Portugueza" "uma rua de Tomar" precisamente da autoria de João Vaz.

Campeonato Nacional de Duplo Trampolim e de Tumbling em Tomar

Vai decorrer nos próximos dias 17 e 18 de Março, no Pavilhão Municipal Cidade de Tomar, o Campeonato Nacional de Duplo Trampolim e de Tumbling, prova do calendário oficial da Federação de Ginástica de Portugal.

Trata-se de uma co-organização da Sociedade Filarmónica Gualdim Pais e a Federação que tem apoio do Município de Tomar.

Participam neste campeonato 463 ginastas oriundos de 8 associações distritais e em representação de 54 clubes.

No primeiro dia da parte da manhã está reservada para treinos livres. A competição inicia-se às 13h30m e prolonga-se até às 21h20m. Seguir-se-á a cerimónia de entrega de prémios.
No segundo dia a competição inicia-se pelas 8h30 e termina às 13h30 com a entrega de prémios.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Excursão automobilista de Lisboa ao Porto

A revista Ilustração Portugueza, decorria o ano de 1917, relatou a viagem feita por muitos automobilistas de Lisboa ao Porto, em que Tomar foi paragem obrigatória.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...